quinta-feira, 31 de março de 2011


"(...)Crie laços com as pessoas que te fazem bem, que lhe parecem verdadeiras e desfaça os nós que lhe prendem àquelas que foram significativas na sua vida mas infelizmente, por vontade própria, deixaram de ser. Nó aperta, laço enfeita... Simples assim."





Infinito Particular



"Eis o melhor e o pior de mim
O meu termômetro, o meu quilate
Vem, cara, me retrate
Não é impossível
Eu não sou difícil de ler
Faça sua parte
Eu sou daqui, eu não sou de Marte
Vem, cara, me repara
Não vê, tá na cara, sou porta bandeira de mim
Só não se perca ao entrar
No meu infinito particular
Em alguns instantes
Sou pequenina e também gigante
Vem, cara, se declara
O mundo é portátil
Pra quem não tem nada a esconder
Olha minha cara
É só mistério, não tem segredo
Vem cá, não tenha medo
A água é potável
Daqui você pode beber
Só não se perca ao entrar
No meu infinito particular"






(...) é preciso partir
é preciso chegar
é preciso partir é preciso chegar...
Ah, como esta vida é urgente!

... no entanto
eu gostava mesmo era de partir...
e - até hoje - quando acaso embarco
para alguma parte
acomodo-me no meu lugar
fecho os olhos e sonho:
viajar, viajar
mas para parte nenhuma...
viajar indefinidamente...
como uma nave espacial perdida entre as estrelas. 

Deixa vai...


 
Tem tanta gente interessante por aí querendo entrar.
Deixa.
Deixa entrar: na vida, no coração, na cabeça.



"Quanto à mim, tenho que lhes dizer que as estrelas são os olhos de Deus vigiando para que tudo corra bem. Para sempre. E, como se sabe, sempre não acaba nunca."

terça-feira, 29 de março de 2011

Assino em baixo!



"Para mim, a loucura é a sanidade super. O normal é psicótico. Normal significa falta de imaginação, falta de criatividade."


Humrum...





Paul – Holly, estou apaixonado por você.
Holly – E daí? 
Paul –E daí?! E daí muita coisa. Eu a amo. Você me pertence. 
Holly – Não. As pessoas não se pertencem. 
Paul – Claro que sim. 
Holly – Ninguém vai me pôr em uma jaula. 
Paul –Não quero colocá-la em uma jaula. Eu quero amá-la. 
Holly – É a mesma coisa. 
Paul – Não é não. Holly… 
Holly – Não sou Holly. Não sou nem Lula Mae. Não sei quem eu sou. Sou como esse gato. Somos dois coitados sem nome. Não  pertencemos a ninguém e ninguém pertence a nós. Nós nem sequer pertecemos um ao outro.
Paul –Sabe qual é o seu problema, Srta. Quem-quer-que-seja? Você é medrosa. Não tem coragem. Tem medo de encarar a realidade e dizer “A vida é um fato. As pessoas se apaixonam sim e pertencem umas às outras sim, porque esta é a única chance que têm de serem realmente felizes”. Você acha que é um espírito livre, selvagem e morre de medo de ser enjaulada. Bem, querida, você já está nessa jaula. Você mesma a construiu. E ela não fica em Tulip, Texas ou em  Somaliland. Ela está em qualquer lugar que você vá. Porque não importa para onde você corra, você sempre acaba trombando consigo mesma.
 
 
 
 
 

quarta-feira, 23 de março de 2011

SAUDADE...





 


“Nunca fui como todos. Nunca tive muitos amigos. Nunca fui favorita. Nunca fui o que meus pais queriam. Nunca tive alguém que me amasse. Mas tive somente a mim. A minha absoluta verdade. Meu verdadeiro pensamento. O meu conforto nas horas de sofrimento, não vivo sozinha porque gosto e sim porque aprendi a ser só.”

Ou é ou não é...



Prefiro pecar pelo excesso e me posicionar, do que me isentar pelo silêncio.
No universo, não dá mais pra ficar em cima do muro com medo.
É preciso escolher um lado, aguentar as consequências e viver. 




sábado, 19 de março de 2011

sexta-feira, 18 de março de 2011

Foi no pôr do sol na praia...






Eu me descubro ainda mais feliz a cada pedaço seu e de tudo o que é seu...
Às vezes você é tão bobo, e me faz sentir tão boba, que eu tenho pena de como o mundo era bobo antes da gente se conhecer.
Eu queria assinar um contrato com Deus: se eu nunca mais olhar para homem nenhum no mundo, será que ele deixa você ficar comigo pra sempre? Eu descobri que tentar não ser ingênua é a nossa maior ingenuidade, eu descobri que ser inteira não me dá medo porque ser inteira já é ser muito corajosa, eu descobri que vale a pena ficar três horas te olhando sentada num sofá mesmo que o dia esteja explodindo lá fora.E quando já não sei mais o que sentir por você, eu respiro fundo perto da sua nuca, e começo a querer coisas que eu nem sabia que existiam.
Quando a gente foi ver o pôr-do-sol na Praia, e a gente ficou abraçado,e a gente se achou brega demais, e a gente de rir, eu senti um daqueles segundos de eternidade que tanto assustam o nosso coração acostumado com a fugacidade segura dos sentimentos superficiais.
Eu olhei para você com aquela sua sueter que te deixa com tanta cara de homem e me senti tão ao lado de um homem, que eu tive vontade de ser a melhor mulher do mundo.
E eu tive vontade de fazer ginástica, ler, ouvir todas as músicas legais do mundo, cozinhar, arrumar seu quarto, escrever um livro, ser mãe.

E aí eu só olhei pra bem longe, muito além daquele Sol, e todo o meu passado se pôs junto com ele. E eu senti a alma clarear enquanto o dia escurecia.(...)

Eu preciso disfarçar que não paro mais de rir, mas aí olho pra você e você também está sempre rindo. Se isso não for o motivo para a gente nascer, já não entendo mais nada desse mundo.(...)
Você me transformou no eufemismo de mim mesma, me fez sentir a menina com uma daquele poema, suavizou meu soco, amoleceu minha marcha e transformou minha dureza em dança. Você quebrou minhas pernas, me fez comprar um vestido novo, tirou as pedras da minha mão.
Você diz que me quer com todas as minhas vírgulas, eu te quero como meu ponto fina
!




quinta-feira, 17 de março de 2011

Vontade do dia...



Lá onde as músicas são mais dançantes,
os amantes são mais calientes
e as comidas são mais picantes.

Fugir pro México, arrumar um nome duplo e viver de tequila, guaca-mole, chilli e amores latinos.
ARRIBA!





quarta-feira, 16 de março de 2011

“Desejo apenas que não nos separemos jamais.”







"Uma madrugada inteira não basta . 
eu te quero o tempo todo . 
E imagino o quão doce ,
é ter você do meu lado . 
Vem menino , 
homem crescido .
Pra sua flor cheia de espinho. 
Passa a sua mão com carinho ,  
sem maldade .
Traz pra mim um sorriso sem graça . 
E um beijo na ponta do nariz . "







Tão bommm!






"De mil experiências que fazemos, no máximo conseguimos traduzir uma em palavras, e mesmo assim de forma fortuita e sem o merecimento cuidado. Entre todas as experiências mudas, permanecem ocultas aquelas que, imperceptivelmente, dão as nossas vidas a sua forma, o seu colorido e a sua melodia. Quando depois, tal qual arqueólogos da alma, nós nos voltamos para esses tesouros, descobrimos quão desconcertantes eles são. O Objetivo da observação se recusa a ficar imóvel, as palavras deslizam para fora da vivência e o que deve ser vencido. Hoje penso que é diferente, e que o reconhecimento de tamanho desconcerto é a via régia para compreender essas experiências ao mesmo tempo conhecidas e enigmáticas. Tudo isso parece estranho, eu sei, até mesmo extravagante. Mas desde que passei a ver as coisas assim, tenho a sensação de , pela primeira vez, estar atento e lúcido."

(Trem Noturno para Lisboa - Pascal Mercier)

PS: Ainda não terminei esse livro, mas não consigo parar de ler, então resolvi dar essa dica para vcs. 

Acredito...






Renato Russo " Mais uma vez"